Apresentação de hoje

APRESENTACAO NEPOM 26_11_2013

Anúncios

Subestimamos o IPCA de outubro

Meu último post no blog, no início da semana, foi a projeção para o IPCA do mês de outubro. Essa projeção foi feita utilizando o mesmo modelo desenvolvido por mim que já foi explicado em outro post.

Contundo, nesta manhã foi divulgado pelo IBGE o valor do índice. O resultado foi uma alta de 0,57%, que é por isso que a nossa projeção foi subestimada. Esta alta foi abaixo do valor médio das expectativas de alguns consultores, que foi de 0,60% e foi calculado pelo Valor Data.

O valor observado para o mês de outubro foi ligeiramente menor do que o registrado há 12 meses atrás, que foi de 0,59%. Essa pequena redução fez com quem reduzisse também o valor do índice acumulado, porém em apenas 0,02p.p., fazendo com que o índice continue ainda abaixo do teto da meta.

Os principais componentes que provocaram essa alta foram os setores de vestuários e o de alimentos, sendo que este último levou o maior crédito por este aumento representado 44% do índice com um aumento de 1,03%. A explicação para esta grande variação no setor de alimentos, que teve um aumento de apenas 0,14% no mês de setembro, é dada pelo efeito pass-throught do dólar.

Outro ponto importante a ser levantado é novamente a questão dos preços livres e administrados. Segundo a consultoria Rosenberg e Associados, os preços livres tiveram um alta de 0,70% em outubro, um aumento de 0,29p.p. em relação ao mês de setembro. Já os preços administrados apresentaram uma redução em 0,02p.p., indo de 0,16% para 0,14%, sendo este valor abaixo do piso das projeções da consultoria, e que também influenciou o índice a reduzir em relação à mesma época do ano passado.

Comentários – 178ª Reunião

“Dando prosseguimento ao ajuste da taxa básica de juros, o Copom decidiu, por unanimidade, elevar a taxa Selic para 9,50% ao ano, sem viés. O Comitê avalia que essa decisão contribuirá para colocar a inflação em declínio e assegurar que essa tendência persista no próximo ano”. Foi esta a explicação divulgada pelo Banco Central, após a reunião que terminou nesta última terça-feira (09/10/2013), para o aumento em 0,5 p.p. da taxa Selic.

Esta frase foi a mesma usada após a reunião realizada em agosto, onde também ocorreu um aumento em 0,5 p.p. na taxa básica de juros. Para ambas as reuniões, o nosso modelo acertou suas projeções desse aumento em 0,5 p.p. e essas projeções podem ser encontradas na nossas apresentações de agosto e de setembro.

Esses contínuos aumentos, que vem acontecendo há quatro reuniões, levam as expectativas do mercado para que a taxa Selic termine o ano de 2013 em 9,75% ou 10,00%. Isso nos faz perceber que realmente o BC está seguindo a meta de inflação, onde esta será perseguida em 2014 para que fique dentro da meta.

Vale ressaltar também que, apesar da redução do IPCA ante o mês de setembro de 2012, a inflação não está dentro da meta. A variação do mês de setembro de 0,35% ocasionou uma redução do índice acumulado em 12 meses, indo para o patamar de 5,86%. Essa foi a primeira vez no ano onde esse índice acumulado ficasse abaixo de 6,00%.

No entanto, o que leva as expectativas de mais um aumento este ano na taxa Selic, é a inflação no ano que vem e de um provável aumento no preço dos combustíveis, ainda este ano. Como esse ano tivemos redução e até a não manutenção de alguns bens monitorados, essas ações puxaram o índice de inflação para baixo. Porém é esperado para que o ano que vem que ocorra forte pressão sobre os bens monitorados, principalmente no reajuste das tarifas de transporte público, que pode ocorrer com maior magnitude.

Previsão IPCA Set/2013

Dando continuidade as nossas previsões do IPCA, segue aqui a previsão do mesmo modelo para setembro de 2013.

Previsão Set/2013: 0.4135
Intervalo de confiança 80%: [0.0456;0.7815]

Previsão IPCA-15 de setembro

Dando prosseguimento ao trabalho feito na aula de econometria II, com o professor Claudio Shikida, como já falado no meu último post, resolvi fazer também a previsão para o IPCA-15.

Eis aqui então a previsão:

Forecast
Sep 2013   0.3860456

IC=[0.1806;0.5915]

Previsão do IPCA para Agosto/2013

Um dos exercícios feitos durante a disciplina de Econometria II, com o professor Cláudio Shikida, foi utilizando a base de dados do IPCA para estimarmos um modelo ARIMA. Após alguns testar alguns modelos eu cheguei em um modelo final, que no primeiro mês de previsão, no caso o mês de abril acertou, e passou perto em algumas previsões seguintes, no mês de maio e no mês de julho.

Eis aqui a previsão do mesmo modelo para o mês de agosto:

Previsão Ago/2013: 0.1394
Intervalo de confiança 80%: [-0.2294;0.5083]