A composição da Dívida Pública Federal

Uma das políticas adotadas pelo Tesouro Nacional para reduzir os custos e os riscos da Dívida Pública Federal(DPF), tem sido alterar a composição com que os títulos públicos são emitidos. Os títulos da Dívida Pública Federal têm quatro classificações básicas: Títulos prefixados, Títulos remunerados por Indicies de preços (IPCA), Títulos de taxa flutuante (Selic), Títulos Cambiais. O objetivo do Tesouro Nacional tem sido reduzir o montante de títulos de taxa flutuante e títulos cambiais, pois eles apresentam um maior risco para o Tesouro Nacional, é como você criar uma dívida sem saber quanto deverá pagar no final do prazo estabelecido, ficando refém da taxa Selic e da taxa de cambio.

Analisando os dados do Tesouro Nacional de 2008 até 2014, pude concluir que houve uma redução média de 9,84% no percentual de títulos cambiais da Dívida Pública Federal ao ano, obtendo uma redução total de 50,52% nesse período, passando de 9,7% em 2008 para 4,8% em 2014. Os títulos de taxa flutuante tiveram uma redução média de 8,17% ao ano, obtendo uma redução total de 42,28%, passando de 32,4% em 2008 para 18,7% em 2014. Dados recolhidos a partir do Plano Anual de Financiamento de 2008 a 2014¹. Minha intenção é analisar se o custo da Dívida Pública Federal tem reduzido, analisar se o percentual de Juros pagos em relação ao total da Dívida Pública Federal paga tem reduzido.

Primeiro iremos olhar para o percentual de Juros pagos em relação ao total da Dívida Pública Federal paga, a redução média anual foi de 6,34%, obtendo uma redução total de 35,25%, passando de 25,94% em 2008 para 16,79% em 2014.

É importante olhar para a correlação e o nível de significância da correlação, o cálculo da correlação nos informa se as variáveis envolvidas no cálculo seguem na mesma direção e qual é a força de relação entre elas, indo de -1(direção oposta) a 1(mesma direção), e a força é dada pela proximidade do valor modular de 1; o nível significância é a probabilidade de concluirmos que há correlação quando na verdade não há. A correlação obtida entre juros pagos em relação ao total da Dívida Pública Federal e o percentual de títulos de taxa flutuante foi de 0,8603 com nível de significância igual a 1,30% e a correlação obtida entre juros pagos em relação ao total da Dívida Pública Federal e o percentual de títulos cambiais foi de 0,7677 com nível de significância igual a 4,39%. Segue abaixo gráfico mostrando a evolução desses dados:

Screenshot_1Assim, podemos concluir que a alteração da composição dos títulos da Dívida Pública Federal tem reduzido os juros pagos em relação ao total da Dívida Pública Federal, o custo do endividamento público federal tem reduzido. E a meta para este ano é que a composição dos títulos cambias fiquem entre 4% a 6% do total de títulos da Dívida Pública Federal e a composição dos títulos de taxa flutuante fiquem entre 17% a 22% do total de títulos da Dívida Pública Federal.

FONTE:

Plano Anual de Financiamento do Tesouro Nacional do ano de 2008 a 2015 <http://www.tesouro.fazenda.gov.br/plano-anual-de-financiamento> Acesso em: 24 de março de 2015.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s