Para você, meu ex-aluno de Análise Macroeconômica IV (parte 2)

Pois é. Muita gente reclama da teoria econômica. Como está na crise da adolescência e não consegue se ver em crise, acha que a crise está no objeto de estudo. Não que não haja problemas com a teoria, longe disto, mas há uma enorme vontade de se jogar a culpa na teoria. Por isto eu publiquei aqui o link para o texto de Goodfriend & King (1997) nos últimos dias.

Hoje, na sequência, e com o mesmo espírito do texto em que expliquei os motivos de publicar o link acima citado, trago outro artigo para o leitor: Wickens (2009). Caso você, como eu, seja destes que não acha que o mundo é apenas novo-keynesiano ou novo-clássico, mas que estas ferramentas fazem parte de um aparato mais amplo que nos permite entender o mundo (não sem problemas e não sem o auxílio de alguma ferramenta quantitativa), então você, provavelmente, vai gostar deste texto. Ele foi escrito após a crise de 2008 e, ao contrário dos apressados, não vê tanto problema assim com modelos DSGE (ah…você acha isto no livro-texto que usamos, não vou traduzir).

Trata-se de um texto curto em relação ao de Goodfriend & King (1997), mas igualmente interessante. Divirta-se.

p.s. para um ponto-de-vista pessoal sobre a suposta ‘crise’ da teoria econômica, veja isto.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s