Importações Brasileiras

O setor externo é um assunto determinante para a economia de um país, visto que com a globalização as economias se abriram, e portanto os países mantem relações de trocas de mercadorias e ativos financeiros entre si. Portanto, alterações em variáveis macroeconômicas externas acabam influenciando a economia brasileira, da mesma forma que alterações nas variáveis de nosso país interferem nas suas decisões de compras de produtos estrangeiros, entre outros.

Existem algumas variáveis que nos possibilitam analisar essas relações entre os países. Algumas delas são câmbio, balança comercial e balanço de pagamento. Neste texto darei foco ás importações de um país, que é um componente bastante significante da balança comercial (exportações menos importações). Portanto definirei quais variáveis impactam seu volume, e em qual proporção.
As exportações liquidas, ou balança comercial, mostram as trocas de bens que foram realizadas entre os países. Os dados e a teoria mostram que o que mais influencia o volume das exportações liquidas são o câmbio, renda interna do país (PIB nacional) e a renda do exterior (PIB estrangeiro).

O câmbio interfere nisto pois dependendo de seu valor os produtos nacionais podem ficar mais caros ou mais baratos frente aos produtos internacionais. Logo, um câmbio mais depreciado (real desvalorizado frente ao dólar) barateia os produtos brasileiros e faz com que as demandas por estes aumentem, incentivando assim as exportações do brasil, e também por consequência a indústria do país. Além disso, as importações realizadas pelo Brasil reduzem, neste caso, pelo fato de que o resto do mundo oferta produtos mais caros. Assim, com a depreciação do câmbio a balança comercial tende a melhorar, ceteris paribus, pelo fato de que as vendas de produtos nacionais aumentam, junto com uma queda da compra de produtos externos. Analogamente, um câmbio apreciado dificulta a venda de produtos nacionais, e incentiva a compra de produtos internacionais. Isto piora a balança comercial, mantendo tudo o mais constante.

Porém, é fácil ver que não é apenas o mercado cambial que afeta as exportações liquidas de um país. Se o produto interno bruto local aumentar, a renda do país aumenta, e portanto sua capacidade de compra também. Logo, as pessoas aumentarão sua demanda por produtos externos, o que elevam os valores das importações. Já se a renda estrangeira aumentar, os outros países do mundo comprarão do país local em maior quantidade aumentando o volume de exportações do país.
Após estas explicações podemos mostrar que as exportações e importações de um país dependem das seguintes variáveis, em especial:

EXPORTAÇÕES (PIB ESTRANGEIRO, CÂMBIO)
IMPORTAÇÕES (PIB LOCAL, CÂMBIO)

Como eu disse anteriormente, darei um maior foco para os dados brasileiros sobre importações. Buscarei definir qual a relação entre renda nacional e importações de um país. Pelo que eu disse anteriormente esta relação possivelmente será positiva, pois quanto maior a renda nacional mais se compram de fora. Mas nem sempre quando o PIB local aumenta, as importações aumentam na proporção devida. Isto porque em determinados governos brasileiros se tentam impedir a compra de produtos estrangeiros a fim de proteger a indústria local da concorrência. Então muitas vezes mesmo com cenários propícios para se importar mais, o governo tributa fortemente produtos vindos de outros países, não deixando com que de fato essa variável aumente.

O gráfico abaixo relaciona volume de importações brasileiras com o PIB brasileiro, desde 1995 até hoje. A correlação entre as duas variáveis para os dados brasileiros é de 0,813571. Uma relação bastante alta, e que comprova a teoria. Logo, se renda aumenta as chances das importações aumentarem é elevadíssima, a não ser que outros fatores externos influenciem, como por exemplo a tributação citada acima ou até mesmo o câmbio.
O R ao quadrado destes dados mostra que 66,19% da variação das importações são explicadas pela variação da renda brasileira.

nepom

Enfim, reduzir a compra de produtos estrangeiros apenas para beneficiar um setor específico da sociedade é algo muitas vezes utilizado pelo governo brasileiro. Porém ações deste tipo devem ser pensadas com calma, pois isto pode até melhorar determinado setor pelo provável aumento de sua produção, porém prejudicará todo o resto da sociedade, que terá que pagar mais caro por produtos brasileiros na maioria das vezes menos qualificados que os internacionais. Portanto, é um questão de escolha. Protecionismo pode até auxiliar uma pequena parcela da população, e também o governo, que ganha o apoio de parte das indústrias, porém de fato isto não melhora o bem estar social.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s