Quer ver o modelo DSGE do FED?

Quem está no Nepom já ouviu falar da regra de Taylor e, caso tenha conversado mais sobre modelos econométricos e política monetária, deve ter ouvido falar dos modelos DSGE. A bem da verdade, quem leu a última edição do ótimo livro-texto do Mankiw de Macroeconomia deve ter passado pelo capítulo 15 (cujo resumo, bem básico está aqui) que trata do tema. Claro, quem gosta de discussões mais avançadas pode ver isto, isto e isto.

Ah sim, um amigo antigo – e também grande incentivador do blog – Ângelo, tem algumas palavras interessantes sobre modelos DSGE:

(…) ainda sofremos com o drama de ter um software que faz muita coisa para o pesquisador, sem obrigar uma reflexão um pouco mais profunda sobre o que está sendo modelado/estimado. Já fiz piada sobre isto, mas depois de tanto tempo acho que está na hora da academia subir um pouco o nível das discussões. Não dá para escrever modelos e não entender as consequências das hipóteses adotadas e sair tirando conclusões apressadas; não dá para colocar um modelo para estimar sem pensar nos dados, nas priors, nos coeficientes estimados; não dá para continuar pegando um modelo pronto, de economia fechada, estimado para os Estados Unidos, e achar natural aplica-lo para o Brasil. Como não vivo em sala de aula, não sei se o problema está nos professores (chegam para a turma e dizem “tem um pacote que faz tudo para vocês, olhem lá”), não sei se o problema está com os alunos (“Oba, achei estes códigos na internet, coloco dados para o Brasil e está pronta a minha tese/dissertação”). Sei que existe um problema que deve ser enfrentado.

A sala de aula tem diversos problemas e um deles é o tempo escasso. Então, como o Ângelo sabe, temos que fazer o que podemos com o tempo, de preferência eficientemente (caso me permitam a piada…). Os alunos, claro, adoram códigos prontos (quem não gosta?) mas, como o papel de refletir sobre o que se faz é deles quando o assunto é a própria monografia/tese/dissertação, creio que é um problema que se resolve com esforço individual mesmo. O bom e velho esforço individual.

Mas eu não vim aqui hoje repetir obviedades sobre o esforço individual. Meu objetivo era repassar a dica do Pedro, que encontrou o modelo do FED (o modelo DSGE do FED) disponibilizado pela própria autoridade monetária (infelizmente para Eviews apenas) de forma transparente e livre. Está aqui.

Obviamente, como disse o Ângelo, se você quer apenas paquerar, decore este texto e repita-o como um papagaio para a menina que não lê a pesquisa do IPEA, mas fica revoltada. Ela estará na sua em menos de 4 minutos (pode apostar). Mas se você quer algo mais do que uma noite de prazer, então tem que ler com calma o documento e estudar o código.

Acho super-legal quando um governo realmente se preocupa com a transparência da política monetária. Sim, é o que eu penso, é opinião minha mesmo, mas suspeito que estou bem acompanhado…

 

O FED mandou bem!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s