1º Ata do Nepom

Na noite de 26 de Fevereiro de 2014, o Copom (Comitê de Politica Monetária) decretou aumento da taxa básica de juros da economia (SELIC) para 10,75% ao ano, um aumento de 0.25 p.p menor do que a última reunião, o qual havia elevado em 0,5 p.p. Um dia anterior ao pronunciamento da taxa de juros, o Nepom iniciou o período de atividades do semestre com uma apresentação similar a estrutura realizada no Copom. Conforme o comitê divulga o desfecho monetário à sociedade, o Nepom utiliza de instrumentos da Econometria para estimar com base nas distribuições empírica das decisões de alta e baixa do Copom, dada a distribuição acumulada das determinações passadas. Para fins de previsão, a probabilidade de ocorrência da decisão prevista do Copom é decomposto em dois outros panoramas derivativos do proposto (Neutro), segundo os quais há um cálculo algébrico do desvio padrão de um modelo auto regressivo da produção industrial para a determinação desses outros (Otimista e Pessimista). O resultado estimado convergiu que não haveria variação na taxa de juros em todos os cenários.

No fim de toda apresentação do Nepom, após a divulgação do modelo econométrico, é aberto a maratona de perguntas, dúvidas e comentários a respeito da análise de conjuntura que foi apresentado. Dentre os questionários pertinentes, um ex-membro do Nepom questionou se o grupo concordava com as estimativas do modelo, dado que o mercado já tenciona aumento de pelo menos 0,25 p.p. A resposta do grupo foi positiva, em virtude das perspectivas dos argumentos sólidos que o grupo excepcionalmente construiu e discutiu durante a apresentação, no entanto não subestimamos uma possível subida. Acreditamos que o Bacen tem pressionado uma política monetária frouxa e gradativa que afivelou o nível de produção do país e a instabilidade do mercado quanto aos estímulos, portanto a não alteração da taxa de juros seria uma hipótese significativa para recuperação da produção no primeiro trimestre de 2014.

O objetivo não é justificar o porquê do modelo não ter acertado e sim tentar identificar quais foram os fatores que levaram a decisão do Copom. Não tendo informações suficientes do cenário econômico do início deste ano para definir um argumento palpável (contudo, estamos trabalhando para apurar melhor nossos métodos estatísticos a partir das informações disponíveis), arriscamos que um dos critérios por mais um sucessivo aperto monetário é o fechamento do IPCA de fevereiro ter impactado um aumento na variação nos primeiros meses do ano em 1,37%. Outro fator, sendo esse político para tal decisão, é o ambiente eleitoral que possibilita um jogo de estratégias do governo definir qual a possibilidade de ganho de uma possível reeleição dado que a inflação esteja próxima a meta (sabemos que políticas econômicas são muito além das propostas que já discutimos anteriormente no blog sobre Credibilidade Econômica).

Sendo assim, o cenário inflacionário é persistente e o Banco Central tem encontrado obstáculos para cumprir a meta, mesmo após oito subidas consecutivas da taxa SELIC. Aperfeiçoar o modelo, como sugerido por um participante é um dos nossos objetivos para a próxima apresentação, como também aprofundar em técnicas micro fundamentadas. A Ata do Nepom é um produto oficial que deve sofrer modificações para as próximas publicações. A ideia do projeto é abordar um parâmetro sobre as apresentações e discussões do grupo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s