Pacote de Obama, outros pacotes, efeitos e avaliações

Luiz André chamou a atenção aí embaixo para a necessidade de se estimar os multiplicadores do gasto público. Lá nos EUA, o pacote de Obama, festejado no momento imediatamente pós-eleitoral, não se mostra nada interessante. O principal atrativo, o emprego, não se recupera com gastos do governo.

No Brasil, numa “improvisada” tentativa de se colar no marketing político de Obama, promove-se um discurso que tenta justificar o que já foi feito (a posteriori) em termos de gastos públicos. Políticos são bem espertos – aqui e lá – mas continuo a insistir: um debate sério não começa com artigos de má qualidade tentando defender o indefensável.

Após anos de investimento no capital humano dos economistas brasileiros, espera-se que aqueles empregados nos postos-chave do setor público e/ou do setor privado mostrem um pouco mais de competência. Assim, ainda gostaria de ver uma proposta de política pública que contivesse os itens básicos de sempre:

a) estimativa de custo benefício (pode ser só o econômico).

b) multiplicadores de impacto (de certa forma, um subitem do item acima)

c) previsão de avaliação de impacto, bem como da metodologia a ser empregada na mesma.

Claro, para escapar da mesmice brasileira, os itens deveriam ter uma probabilidade de realização altíssima.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s