Pedro Sant’Anna e o prêmio Zellner de Econometria

Primeiro, a notícia:

Pedro Sant’Anna has been awarded the prestigious Zellner Thesis Award from the Business and Economics Section of the American Statistical Association.  The award is named for Arnold Zellner, past Chair of the Business and Economics Section, past President of the American Statistical Association, and founding editor of the Journal of Business and Economics Statistics (JBES). The award is for the best Ph.D. thesis dealing with an applied problem in business and economic statistics. It is intended to recognize outstanding work by promising young researchers in the field.

Professor Sant’Anna’s winning thesis was entitled “Essays on Duration and Count Data Models.”  He was the subject of our Faculty Spotlight last year. [9/16]

Ok, desde que o Nepom encerrou suas atividades, minha pretensão era manter este blog no ar, mas sem atualizações. Entretanto, hoje, o aluno que me instigou e ajudou a criar o Nepom, o Pedro Sant’Anna, alcançou um novo patamar acadêmico, ao ser agraciado com o Arnold Zellner Award, concorrendo com gente do mundo inteiro.

É praticamente uma medalha de ouro (eu diria um troféu) para o Brasil. Não foi resultado de paternalismos ou de conversas moles. Não mesmo. Pedro traz grande alegria a todos que, como eu, trabalharam com ele em algum momento. O Nepom surgiu porque o inquieto aluno queria aprender mais.

Parabéns, Pedro!

Da esquerda para a direita: Biro-Biro, Caçapava, Zanata, Abel, Palhinha, Dirceu Lopes e Éder.

Da esquerda para a direita: Biro-Biro, Caçapava, Zanata, Abel, Palhinha, Dirceu Lopes e Éder.

O novo Nepom: este blog poderá ter algum futuro? Comente! Sugira! Agora é sua chance!

Como antecipei, o Nepom acabou (na faculdade, inclusive, vão implementar algo novo). Contudo, este blog continua no ar. O que fazer com ele? Pensei em duas opções e vou implementar as duas e vamos ver o que funciona.

A idéia é que alunos de graduação de economia, do país inteiro (ou do mundo) poderão publicar textos aqui. A única exigência é que o artigo tenha um uso mínimo de Econometria ou algum outro método quantitativo que vá além da simples idéia de média/desvio-padrão/mediana/moda.

Agora, a segunda parte da coisa: parte destes artigos podem ser mini-artigos preparatórios para um futuro artigo. Neste caso, o autor vai se submeter ao meu parecer, podendo ser rejeitado ou não. Não o sendo, publico-o aqui com ou sem correções.

Assim, o blog deve se transformar em uma plataforma que ajude alunos de graduação de qualquer faculdade, a treinar seu lado “profissional”, aprendendo a lidar com comentários, críticas, etc.

Ainda não elaborei as regras de submissão, mas serão simples: o aluno vai se identificar com seu nome, faculdade, período no curso e dirá se vai simplesmente publicar ou se vai querer publicar sob análise do parecerista. Antes de implementar tudo isto, gostaria de saber de vocês, leitores deste blog, o que acham disso. Sugestões e críticas são bem-vindas, inclusive aquelas que representem outros caminhos para o blog.

Para terminar, então, com este post, fica o blog, definitivamente desvinculado de novas iniciativas que, porventura, ocorram (e, acreditem, ocorrerão) na faculdade.

PaperArtist_2014-05-15_18-46-51

Livros de Econometria: pergunta de um leitor

O leitor do blog no Twitter, @AlisonSete98 pergunta se temos alguma indicação de livro de Econometria mais prático do que apenas teórico. Reproduzindo:

vc tem algum livro pra recomendar no estilo de Guide to Econometrics? Um livro destinado para aplicações mesmo ao invés de teoria?

Bem, acho que há algumas opções no mercado. Existe o Gujarati, em português (Gujarati & Porter) e existe um outro, um pouco mais aplicado, do próprio Gujarati, chamado Econometrics by Example, que talvez seja mais parecido com o que você quer.

Eu gosto muito do livro do Stock & Watson, mas a terceira edição, que não está traduzida. Acho o melhor livro para entender as aplicações econométricas. Também gosto do livro do falecido Peter Kennedy, que existe em português (em inglês é A guide to econometrics). Acho que foi ele que você citou.

O livro do Kleiber & Zeileis para R também é bom, mas exige que você saiba – ou queira aprender – R (Applied Econometrics with R). Finalmente, existe a apostila para gretl do Lee Adkins que é legal, mas, novamente, a ênfase é em ensinar o programa econométrico, não a econometria aplicada.

Caso eu lembre de outro, eu volto aqui.

 

O fim do GECE

Vitor Wilher me pegou de surpresa com o anúncio do fim do GECE (mas nem tudo está perdido). Antes que eu pudesse lamentar, ele deu a boa nova (veja o parênteses anterior) e fiquei menos triste. Afinal, acho que um dos grandes méritos de grupos como o Nepom e o GECE é o de aprofundar conceitos estudados na graduação, filtrando por crenças mal fundamentadas ou preconceitos.

Desde que conheci o Vitor, vi também que ele começou um esforço sensacional de começar a trabalhar com o R e, quem começou isto do nada, como eu, sabe como só a dedicação e o empenho podem levar a algum lugar.

Acho que, agora, a torcida é para que mais grupos no Brasil sigam por esta trajetória.

Expectativas Racionais…novamente

Sabe aquele seu colega que vive lhe dizendo que as pessoas não são racionais ou, alternativamente, que expectativas subjetivas não são racionais? Pois é. Eu cheguei a pensar em preparar algo técnico (cujo esboço inicial está aqui) sobre o assunto e um dia eu termino. Mas eu gosto mesmo é de imaginar como alguém explicaria esta notícia sem assumir que as pessoas sejam racionais.

Vejam como é idêntico ao modelo estudado em sala: pessoas se antecipam a possíveis mudanças (não quer dizer que ocorrerão) e agem imediatamente. Não é exatamente o que você aprendeu em sala de aula?